sábado, 3 de setembro de 2005

Situação Dramática

Tava saindo do clic para ir ao Móveis na noite de sexta. Era pouco depois de 1h, estava em frente ao prédio da empresa. Apareceu um táxi, fiz aquele famoso sinal com o dedo para que o veículo parasse. Parou um casal. O cara, uma cara de falca. Eu tava sozinha na rua. Ele:
- Te importa? Ela é minha namorada, mas eu estou trabalhando.
- Ahm, não, tudo bem.

Dentro do carro:
- Tu te importa se ela fumar?
- Ahn, tudo bem.

Sério, eu jurei que seria, no mínimo, assaltada. Mas não, cheguei sã e salva no Móveis.

Lunático
Cachorro Grande

Se em alguma hora o sol bater e lhe dizer:
Tu é um canalha e se eu achar que eu sou
Lunático que se dane, sou eu que tô pagando
Lunático que se dane, sou eu que tô pirando

Não dê bola se eu te trancar num quarto uma semana
Não dê bola se eu te passar bolachas
Por debaixo da porta, sou que eu tô passando
Bolachas debaixo da porta, eu tô amando

Se alguma hora o sol nascer e lhe dizer:
Tu é um canalha e se eu achar que eu sou
Lunático que se dane, sou eu que tô pagando
Lunático que se dane, sou eu que tô pirando

3 comentários:

Cássia disse...

Jana, está quase pronto o currículo da lavagem cerebral musical: Márcio dará MPB & Jazz, Dante, Rocanrol e POP. Eu sou a supervisora do curso :-p

Cássia disse...

Baideuêi, quando saíres tão tarde, chama um táxi pelo 3226-1919. A chamada é de grátis, e pelo menos o táxi é identificado pelo serviço :-)

Fernanda Souza disse...

Com essas, uma louca que disse ser amiga do motorista da van que me buscou para pegar a banda Da Guedes para um programa na faculdade, me incomodou de Poa a São léo e o motora jurava que não a conhecia... Uma loucura!