segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Queijo da Serra com Guacamole


Morar fora, em geral, significa fazer amigos estrangeiros. Mais ou menos porque as pessoas do lugar já tem seus amigos e suas vidas e as pessoas de fora estao sozinhas, loucas por companhia. O resultado é que voce acaba por formar uma família multicultural, um grupo de gente que se torna unido e começa a planejar de passeios a jantares juntos, um grupo que se torna meio inseperável. Bem, pelo menos esse é o caso em que eu e meus amigos nos encaixamos.

A turminha reúne brasileiros, italianos, franceses, egípcios, portugueses, mexicanos, espanhóis e, claro, chineses. É, acho que estas sao as nacionalidades predominantes nos nossos encontros. Desta (con)fusao, uma das maiores delícias sao as trocas culturais. Em termos linguísticos, sempre dá pano pra manga. Em termos culinários, hum, eu que sou meio glutona, sempre fico com culpa depois de experimentar - e exagerar no consumo - delícias estrangeiras.

O queijo Serra da Estrela, ou só queijo da serra para os íntimos desta iguaria portuguesa, é um dos casos. Desde que conheci o Ricardo Duarte, ele me falava de o quao bom era o tal queijo. Produzido em pequenas propriedades na Serra da Estrela, é resultado da mistura do leite tirado das ovelhas Bordaleira da Serra da Estrela - o segundo maior rebanho portugues (na foto voces veem alguns exemplares) - ao cardo, uma flor típica de Portugal (que também aparece pela Argentina e algumas regioes da África) usada para coagular o queijo, além de sal.

O resultado é um queijo molinho, que vai do branco ao ligeiramente amarelado, numa consistencia amanteigada. A gente come de colher e bota em cima de torradinhas. Delícia. Entre conhecer o Ricardo e conhecer o queijo que o Ricardo nos trouxe, levou uns nove, 10 meses. Mas valeu a pena esperar. Ele nos trouxe um queijo da Casa Matias.

Agora, nem tudo o que é bom vem sozinho. A Alma, nossa mexicana fofa, fez um guacamole que vou te contar. Eu já tinha comido na rua, mas assim, em casa, nunca. O pure de abacate salgado é companhia perfeita pros nachos. E o Ricardo ficou reclamando que se comia a fruta com sal, nao com açucar. Pois a mistura ao doce é comum em Portugal e no Brasil, mas impensável no México. Pra quem quer seguir a receita, anota aí.

- Abacates maduros
- Cebola média cortada em pedacinhos minúsculos
- Um dente de algo super picado
- Salsinha picada
- Pimentas verdes
- Suco de limao
- Sal a gosto

Mistura tudo numa tigela, amassa, amassa, amassa e depois sirva com nachos. No México, me contou a Alma, algumas vezes ainda se bota tomate verde. Em receitas que vi em sites brasileiros, havia o tomate vermelho mesmo (aliás, já comi assim em outros bares de Beijing). Outras receitas ainda falam em pimenta malagueta e coentro. Bueno, tempere a gosto, mas coma guacamole! E se fores a Portugal, já sabes o que pedir.

3 comentários:

almatrix disse...

Hummm! Just remembering makes my mouth start to feel flavors! Let´s say it has been one of our best meetings in terms of delicacies!

Muito obrigada!

Janaína Camara da Silveira disse...

E tienes blog, Almita bonita! Eres una de mis amigas superonline!

Janaína Camara da Silveira disse...

Ah, o Ricardo me informou o preco do queijo da serra: depende do tamanho e do peso, mas normalmente entre 10 a 15~17 euros