segunda-feira, 11 de maio de 2009

Os 51 mil budas de Datong

Visite Datong. Fica a seis horas de trem de Beijing, mais ou menos, e há 23 opções de horários, saindo da capital. Dizem que de ônibus a viagem é ainda mais curta, mas aí quem estiver interessado pode procurar por si próprio. Aqui, as dicas são mesmo ferroviárias.

Desde que comecei a estudar chinês, Datong (大同) estava no roteiro de viagens. Talvez pelo pouco vocabulário apresentado no livro de mandarim até o momento, a única referência que aparecia sobre a cidade é que ela estava perto de Beijing - motivo, aliás, de riso. Vivia perguntando à minha professora da época que conceito de perto era esse dos chineses, ao considerarem um local seis horas distante algo próximo. Bueno, os gaúchos também acham que Floripa está ali ao lado e ainda encaram a BR-101.

Voltando à China, fato é que nunca me interessei tanto. Era uma cidade que estava ali e a qualquer momento eu poderia visitar. O título de capital do carvão não era nada tentador. Datong é uma das principais produtoras do mineral, o que dá à cidade uma fama de poluída e garante, por outro lado, grana e investimento em infra-estrutura logística, a saber ferroviária e rodoviária.

Claro que eu já havia lido que se tratava de um antigo centro político e cultural da China, do tipo antigo com 2.400 mil anos de história. Mas tipo assim, o que na China não tem um, mas milhares de anos de história? Sério, ainda não era esse o diferencial para mim.

Dizer que há 51 mil budas esculpidos em pedra, numa coleção de grutas que se estendem por cerca de um quilômetro e cujo trabalho envolveu cerca de 40 mil pessoas ao longo de 50 anos não foi suficiente para despertar minha curiosidade. Pena.

Tamanho desdém não tem nenhuma razão de ser. Dá até vergonha admitir. O cenário é fantástico e o passeio mais do que recomendado. Estou falando agora especificamente do complexo de grutas Yungang, 云冈石窟 – que a gente facilmente lê Yungang Shiku.


Um passeio pelas grutas demora, em média, entre uma hora e meia e duas horas


O bilhete custa 30 yuans na baixa temporada, outubro a maio, e 60 yuans na alta

Imagino que as fotos falem bastante, mas como escrever está bom, quem tal vocês saberem pelo menos um resumo bem resumido destes tais de 2,4 mil anos de história de Datong?


Na alta temporada, o horário de funcionamento é das 8h às 17h30min


Na baixa, prepare sua visita entre 8h30min e 17h

A gente já começa pulando etapas, e chegamos a 368, quando um grupo chamado Tangut (拓跋,tuoba, em mandarim) fundou ali a Dinastia Wei do Norte. Pois em 453 este povo daria início às grutas, que ficaram prontas em 494. Naquele tempo, Datong era um entreposto cultural, por onde circulavam influências da Índia, da Ásia Central e da Mongólia. Além disso, o povo que andava pelo poder era fervorosamente budista. Logo…


Segundo a lenda, um conselheiro pediu ao imperador de então que renunciasse ao budismo - e o mandatário caiu doente


O conselheiro foi executado, o imperador recobrou a fé e a saúde e o seu sucessor, para evitar o destino do anterior, resolveu dar início às estátuas incrustadas na pedra


O que ficou esculpido na pedra revela bastante da cultura da época. Hoje, diz-se que a compleição dos budas lembra o que era o povo local, com lábios grossos, olhos oblíquos e ombros largos. Aliás, os budas das grutas 16 a 20 representam cinco imperadores daqueles idos, o que demonstra a crença de que os imperadores eram uma espécie de buda. Ou acabariam se tornando um.


As grutas de 16 a 20 são as primeiras construídas no complexo, no reinado Heping (460-65)


O local foi declarado Patrimônio Cultural pela Unesco em 2001


A economia carvoeira da região provoca o desgaste das estátuas, que ficam cobertas por fuligem

Os pesquisadores ainda dizem que figuras de bodisatvas, seres de sabedoria elevada, e de apsarás, espíritos femininos das nuvens e das águas nas mitologias hindu e budista, revelam traços de culturas indiana, sem contar as influências persa, grega e bizantina, presentes nas representações de armas, instrumentos musicais e vestuário.


A fusão das diversas culturas da Datong próspera cultural e politicamente se revela nas esculturas


As estruturas variam de entre alguns centímestros a até 17 metros de altura

A cerca de 16 quilômetros do centro de Datong, o passeio é incrível. O pulo do gato é negociar com um taxista já desde o início da manhã e com ele seguir viagem.

Depois das grutas, o nosso próximo destino foi o Monastério Suspenso. Mas esta serão cenas do próximo post. Antes de chegar a ele, vale saber que o governo chinês recém começou um programa para evitar infiltrações nas grutas. Segundo o vice-presidente do Instituto de Pesquisa das Grutas Yungang, o objetivo é evitar água na parte superior das estruturas.

Entre as 45 unidades principais das grutas, 21 têm problemas com infiltração. É preciso melhor o sistema de drenagem para evitar que a chuva destrua as estátuas, já ameaçadas pelo pó de carvão. Em 1998, para evitar erosão, as indústrias próximas foram desclocadas e o trânsito de caminhões, afastado. Além disso, cinco aldeias foram realocadas e houve a plantação de árvores nos arredores.

Ah, aqui duas palhinhas do que ainda Datong nos reserva.


Localizado na Montanha Heng, ou Heng Shan - 恒山 -, o monastério tem mais de 1,5 mil anos de história


Se arrisca a subir na estrutura de madeira engenhosa e precariamente colada à montanha, um dos cinco picos sagrados da China?

6 comentários:

Tati Klix disse...

Liindas fotos, Jana!!

Jana Jan disse...

O lugar é que é muito massa. Mostra pra tua mãe, quem sabe ela se empolga. haha

Miriam - Go Vegan !!! disse...

Amiga, conheci seu blog há algumas semanas e estou AMANDO! Agora quero muito conhecer Datong, quem sabe consigo ainda nesta vida rs
Bjs!

Jana Jan disse...

Oi, Miriam. Bom te ver aqui.
Nossa, vindo à China, não dá pra perder. Vou postar agora sobre o monastério, que é bem legal também.

Beijo

almartirio disse...

I envy You Soo muuuuch!

Great trip, I guess.

JDACT disse...

Excelente trabalho.
Obrigado!
A amizade é o melhor triunfo da vida.
JDACT